top of page

Armazenamento de baixa emissão é boa opção para logística


Sustentabilidade é a palavra do momento para as empresas. Cada vez mais elas buscam soluções mais sustentáveis em todos os aspectos da cadeia de suprimentos – incluindo armazéns e armazenamento.


De acordo com o European Logistics Supply Chain Sustainability Report (Relatório de Sustentabilidade da Cadeia de Suprimentos de Logística Europeia), 80% das empresas dizem que a redução das emissões de dióxido de carbono (CO2) nos próximos cinco anos é uma área de foco principal para suas iniciativas ambientais e 28% incluem metas ESG como obrigações para os parceiros da cadeia de suprimentos para cumprir em seus contratos.


Nesse contexto, um dos pontos mais impactos pode ser o armazenamento. O relatório diz que 12% das empresas acreditam nisso.


O novo foco em armazenamento não deve surpreender, dado o recente aumento da demanda por soluções de armazenamento – em parte, devido à uma crise de excesso de estoque após o boom inicial do comércio eletrônico durante a pandemia de Covid-19.


Maersk quer reduzir emissões de GEE em 90% até 2030

Nessa onda vem a Maersk, empresa que opera muitos armazéns, depósitos e armazéns frigoríficos e pretende fornecer 90% de operações de logística de contrato verde até 2030.


O armazém de Cajamar, em São Paulo, inaugurado em setembro de 2022, é um exemplo de instalação que já segue este modelo de armazenagem de baixa emissão. O local conta com certificação LEED Platinum (Liderança em Design de Energia e Meio Ambiente).


Vale citar que a empresa oferece aos clientes visibilidade para atingir seus objetivos de sustentabilidade por meio de um Emissions Dashboard, uma ferramenta tecnológica que consolida dados de emissões em todos os modos de transporte e transportadoras.


“A energia usada dentro do armazém é elétrica e por produzir nossa própria energia renovável, estamos adicionando e habilitando nova capacidade à rede, em vez de usar energia que já existe por meio de um fornecedor existente”, explica Fredrik Grill, chefe global de Descarbonização da Maersk Contract Logistics.


Impacto nos negócios além das metas de emissão

Além do impacto ambiental, a sustentabilidade é muitas vezes pensada para permitir a eficiência de custos por meio de equipamentos mais duradouros e custos de energia mais baixos.


“Armazéns com baixas emissões de GEE permitem a sustentabilidade operacional sem comprometer o nível de serviço ou impactar negativamente nas mercadorias dos clientes – ainda são armazenados nas mesmas condições e manuseados com a mesma eficiência que seriam em armazéns convencionais, mas com impacto mínimo no ambiente”, diz Anders Woggsborg, gerente Comercial de Sustentabilidade na Maersk


A Maersk continua investindo para se tornar neutra em relação ao clima até 2040.


Fonte: Frota & CIA

3 visualizações0 comentário
bottom of page