top of page

Aumento do preço do combustível traz preocupação para o setor de logística e transporte


A disparada dos preços do diesel e o impacto disso no valor do frete é, hoje, uma das maiores preocupações do setor de transporte e logística. O resultado do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) referente ao mês de março de 2022, divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostrou que o diesel está entre os principais itens do recorde de crescimento do IPCA, registrado no último mês de março, com elevação de 13,7% na comparação com o mês anterior.


Ser empresário em um país com instabilidades jurídicas, fiscais e econômicas, não é nada fácil. Todos os dias chegamos em nossas empresas e temos um novo cenário. São novos preços, novos desafios tributários e fiscais, antigamente ouvíamos o ditado matar um leão por dia. Nos dias atuais estamos matando uma alcateia”.


“Ser empresário em um país com instabilidades jurídicas, fiscais e econômicas, não é nada fácil. Todos os dias chegamos em nossas empresas e temos um novo cenário. São novos preços, novos desafios tributários e fiscais, antigamente ouvíamos o ditado matar um leão por dia. Nos dias atuais estamos matando uma alcateia”, comenta o vice-presidentes Institucional do Sindicato das Empresas de Transportes de Carga e Logística no Estado do Rio Grande do Sul – SETCERGS, Lucas Holderle.


A dificuldade de conseguir repassar os preços é a maior preocupação no setor do transporte. Muitas empresas não dão a devida importância ao transporte de suas mercadorias, vendo-o apenas como mais um custo.


“Precisamos mostrar aos clientes a importância de ter transportadoras com qualidade em suas operações, trazendo um menor custo ao cliente, e não me refiro a baixar os fretes, e sim na agilidade de entrega, com produtos em perfeitos condições, que faz com que o consumidor final se sinta satisfeito e queria comprar mais dessa empresa. É este formato que precisamos mostrar aos nossos clientes, assim terão plena certeza que o transporte é seu aliado e não seu inimigo monetário”, completou Lucas.


Um dos destaques na programação da TranspoSul nessa área, será a palestra do Consultor em transportes, Lauro Valdivia, no dia 4 de junho. Ele falará sobre o impacto do aumento dos insumos do transporte na composição do valor do frete.


O que causa os reajustes

São vários os motivos apontados para a disparada dos preços. Entre eles estão a alta do petróleo no exterior, a desvalorização do Real e o gatilho que aumentava a cobrança de ICMS. Enquanto a busca por medidas para conter os aumentos provoca uma discussão nacional, o desafio dos transportadores rodoviários de carga é manter a viabilidade das empresas e dos negócios.


Em nota oficial emitida no final do ano de 2021, o SETCERGS já vinha alertando para risco de descontrole nas altas dos preços dos combustíveis. “A manutenção da saúde financeira dos transportadores torna imprescindível o repasse imediato dos aumentos para o preço dos fretes. Mas além disso é urgente a adoção de políticas que tragam previsibilidade para tais reajustes e a contenção da alta carga tributária que ao contrário dos anseios da sociedade brasileira, segue sem solução”, diz o texto.


Fonte: Frota & CIA

1 visualização0 comentário

Comments


bottom of page