top of page

Mortes em rodovias voltam a crescer após 11 anos

Dados coletados pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) estavam em queda desde 2011; norma internacional é alternativa para organizações manterem a segurança em transportes


Dados coletados pela Polícia Rodoviária Federal mostram que os acidentes e mortes em rodovias cresceram de 2020 para 2021. Um alerta se acendeu porque os dados não cresciam desde 2011.


O número de acidentes, lesões e mortes nas rodovias federais, passou respectivamente de 63.548 para 64.441, 71.480 para 71.690 e 5.291 para 5.381.


Um estudo que usou dados entre 2018 e 2021, também da PRF, mostrou que a BR-101 é a mais mortal do país. Seguida pela BR-116 e BR-364. Além disso, as rodovias públicas registram quatro vezes mais mortes que as privadas.


Com o aumento, vale relembrar a importância da norma ISO 39001 – Sistema de Gestão de Segurança Viária. “A ISO 39001 possibilita a continuidade do negócio para as organizações, trabalhando para evitar acidentes, que resultam, muitas vezes, em grandes taxas de absentismo”, explica Alessandra Gaspar Costa, diretora executiva da APCER Brasil.


A ideia da norma é, por meio de critérios elaborados, reduzir e, se possível, eliminar a incidência de lesões graves e mortes em acidentes de trânsito. Entre as medidas estão o estudo de rota mais segura, implementação de tecnologia para avisos de necessidade de manutenção e educação dos colaboradores para casos de acidente.


“Para organizações cujo principal atividade não são transportes, a norma traz opções que reduzem o estresse improdutivo entre os colaboradores, como transporte compartilhado para ida e volta do trabalho, flexibilidade de horários, driblando o tráfego intenso ou até mesmo embasamento para a adoção do homeoffice”, conclui Alessandra.


Fonte: Frota & CIA

2 visualizações0 comentário
bottom of page